O que pode causar prolapso genital?

Pesquisas mostram que os prolapso genital pode se originar de causas múltiplas e se desenvolverem gradualmente ao longo dos anos. Saiba mais!

Pesquisas científicas mostram que os prolapsos genitais podem se originar de causas múltiplas e se desenvolverem gradualmente ao longo dos anos. No entanto, a importância relativa de cada fator é desconhecida .

Parto normal pode causar Prolapso?

Parto vaginal é o fator de risco citado com maior frequência pelos estudos no assunto. Não existe consenso sobre o fato de a gestação ou o parto em si predisporem a disfunção do assoalho pélvico. No entanto, vários estudos mostram que o parto aumenta o risco de a mulher desenvolver prolapso. O risco aumenta 1,2% a cada parto vaginal. O estudo de Oxford, envolvendo 17 mil mulheres, demonstrou que as mulheres que tiveram 2 partos vaginais foram hospitalizadas para correção de prolapso 8 vezes mais que as nulíparas.

Podemos citar outras condições associadas à gravidez como a macrossomia fetal (bebês de peso acima de 4kg). Além de trabalho de parto prolongado, episiotomia (corte na vulva para passagem do bebê). Laceração do esfíncter anal, analgesia peridural, uso de fórceps e estimulação do trabalho de parto com ocitocina, a chamada “injeção de força” também estão associados. Cada um desses fatores necessita de estudos adicionais. Porém não existem dúvidas de que a soma cumulativa de todos esses eventos ao passar no canal de parto predispõe ao prolapso.

Intervenções obstétricas 

Atualmente, duas intervenções obstétricas não são defendidas devido à falta de evidência de benefícios. O fórceps eletivo e a episiotomia(corte na vulva para passagem do bebê). Pelo menos seis estudos randomizados controlados comparando episiotomia eletiva e seletiva não mostraram benefício comprovado, mas uma associação com laceração do esfíncter anal, incontinência anal e dor no pós-parto.

Outros fatores como as chamadas doenças do tecido conjuntivo aumentam a incidência de prolapso. Como fatores raciais e qualquer condição que aumente a pressão intra-abdominal, tosse, constipação crônica e obesidade. A idade também está relacionada, influenciando tanto no surgimento, como no agravamento do prolapso já existente. Estudos como o Pelvic Support Study (POSST) em mulheres de 20–59 anos, mostram que a incidência de prolapso dobra a cada década. Não há dúvidas que a falta de hormônios causada pela menopausa (hipoestrogenismo) tem influência direta nesse processo. Daí a minha convicção de que toda paciente que tem exames prévios favoráveis, DEVE fazer a chamada terapia hormonal pós menopausa! Mas essa é uma outra discussão….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 200px;}