Botox® no tratamento de doenças da bexiga: isso é verdade?

Conhecida por todos por seu uso na medicina estética facial, a chamada toxina botunlínica (Botox®) vem ganhando espaço crescente em outras áreas, como na Uroginecologia.

Utilizada pela primeira vez por Emile Pierre Marie van Ermengem em 1897. Há sete tipos distintos da toxina botulínica, que vão do Tipo A ao Tipo G, sendo a do tipo A a mais utilizada, sendo mais conhecida por Botox®.

Ao ser injetada, esta toxina causa paralisia flácida no músculo. Ela inibe a ação da acetilcolina,  uma substância relacionada à contração muscular. Devido à sua efetividade, segurança e efeito transitório, esta toxina é usada em inúmeras doenças.  Por exemplo: blefaroespasmos, discinesias faciais, torcicolo espástico, hiperidrose, acalasia, fissura anal, espasmo do esfíncter anal. Sendo mais famosa no tratamento das rugas faciais.

Tratamento

tratamento em uroginecologia é feito por endoscopia da bexiga (cistoscopia) através de injeções na camada muscular desse órgão, vinte  em média, com o uso de uma fina e curta agulha sob visualização .Os efeitos de melhora no paciente são observados rapidamente, porém o tratamento deve ser repetido em intervalos em média de 24 semanas segundo os estudos.

Essa substância vem a cada dia chamando a atenção dos médicos que lidam com distúrbios do trato urinário inferior e disfunções miccionais, como a síndrome da bexiga dolorosabexiga hiperativa neurogênica e idiopática e obstrução de colo vesical . Desde 2011 passou a ter seu uso aprovado pelo FDA (agência reguladora norte americana) para casos restritos  com extensão para outras linhas de tratamento em 2013, como nos casos de bexiga hiperativa que já citamos anteriormente em nosso BLOG.

Apesar de cada vez novos estudos mostrando bons resultados em sua utilização, é importante sabermos que o uso da toxina botulínica intravesical é considerado um tratamento de segunda linha, ou seja, utilizada apenas após falha do tratamento medicamentoso. Fundamental, portanto, uma visita a um especialista para maiores orientações e indicações desse novo método de tratamento.

Ficou com dúvidas e quer saber mais? Deixe um comentário ou entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 200px;}