Incontinência urinária: causas, sintomas e tratamentos

Também conhecida como: perda do controle da bexiga / micção incontrolável

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina e afeta pessoas de ambos os sexos em variadas faixa etárias. Existem diferentes tipos e níveis de gravidade: em alguns casos, a pessoa não consegue segurar a urina quando faz esforço para tossir ou espirrar; em outros, mesmo sem esforço, a pessoa sente uma vontade repentina tão forte de urinar que não consegue se segurar até chegar ao banheiro.

Atualmente, cerca de dez milhões de brasileiros são afetados pela incontinência urinária. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, as mulheres e os idosos são os grupos que mais apresentam o distúrbio.

A incontinência prejudica muito a qualidade de vida das pessoas, já que afeta diretamente suas rotinas e causa um constrangimento social nos episódios da perda da urina, mau cheiro e etc. Muitos pacientes se tornam deprimidos, se isolam de familiares e amigos, por se se sentirem envergonhados pela doença.

SINTOMAS

Incontinência urinária de esforço

Esse tipo de incontinência ocorre quando e pessoa não tem força muscular suficiente no assoalho pélvico para segurar a urina quando passa por algumas situações. Ao tossir, dar risada, espirrar, carregar peso, subir escadas, praticar atividades – dentre outras práticas que coloquem a bexiga sob pressão ou estresse – a pessoa terá a perda involuntária da urina. Ocorre com mais frequência em pacientes que já tiveram alguma lesão no esfíncter urinário. Ocorre vazamento de uma pequena a moderada quantidade de urina.

Incontinência urinária de urgência

A incontinência de urgência se caracteriza por uma vontade tão forte e repentina de urinar que a pessoa não consegue segurar o xixi até chegar ao banheiro. A principal causa da incontinência de urgência é a síndrome da bexiga hiperativa. O distúrbio pode acontecer mesmo que a pessoa esteja com pouca quantidade de urina acumulada na bexiga. Pode vazar uma quantidade de urina moderada a grande.

Incontinência urinária por transbordamento

Quando a pessoa está com a bexiga sempre cheia, ocorre vazamentos que caracterizam a incontinência urinária por transbordamento. Em alguns casos, pode haver o gotejamento quando a bexiga não se esvazia por completo. Ocorre o vazamento de uma pequena quantidade de urina e o jato urinário é fraco. Existe uma constante sensação de que a bexiga não está vazia, por isso a pessoa sente vontade de se esforçar para urinar mais. Vontade de urinar diversas vezes durante a noite e pode ocorrer vazamento de xixi durante o sono.

Incontinência urinária funcional

Quando uma pessoa está impossibilitada de ir urinar no banheiro sozinha de forma independente – devido a alguma doença ou complicação – ela sofre de incontinência funcional. Por exemplo, se a pessoa tem artrite severa pode não conseguir desabotoar a calça com rapidez suficiente antes de urinar.

Incontinência urinária mista

Pode ocorrer casos no qual os sintomas da incontinência urinária se misturam, resultando na incontinência mista.

CAUSAS

Existem inúmeros motivos que podem acarretar o surgimento da incontinência urinária, conheça-os:

  • Alguns medicamentos, comidas e bebidas, podem ter ação diurética e aumentarem o volume de urina na bexiga, dentre eles: álcool, cafeína, refrigerantes, adoçantes artificiais, alimentos muito ácidos e cítricos, grandes doses de vitaminas B ou C, xarope de milho, alimentos ricos em especiarias e açúcar, uso de medicamentos para doenças cardíacas e pressão arterial, além de sedativos e relaxantes musculares.
  • Condição médica facilmente tratável, como: infecção do trato urinário, prisão de ventre e estresse.
  • Condição médica persistente causada por problemas físicos subjacentes ou alterações, como: gravidez, parto, envelhecimento, menopausa, histerectomia, câncer de próstata, aumento da próstata, obstrução do trato urinário, distúrbios neurológicos, esclerose múltipla, doença de Parkinson, AVC, tumor cerebral ou uma lesão da coluna vertebral.

Alguns fatores de risco ocasionam na incontinência urinária, dentre eles:

  • Idade: quanto mais avançada a idade, maior probabilidade de desenvolver a doença;
  • Sexo: as mulheres são mais afetadas, aproximadamente três a cada dez mulheres idosas apresentam o problema;
  • Raça: mulheres brancas são mais afetadas pela incontinência urinária de esforço);
  • Obesidade: o excesso de peso aumenta a pressão na bexiga e enfraquece os músculos da região;
  • Doenças: algumas doenças neurológicas ou diabetes podem aumentar o risco de incontinência.

Possíveis Complicações 

Podem surgir problemas de pele, erupções cutâneas e feridas que podem se desenvolver a partir da pele constantemente molhada. Além de infecções do trato urinário e impactos sobre a sua vida pessoal já que pode atrapalhar sua vida social, trabalho e relacionamentos.

DIAGNÓSTICO E EXAMES

É imprescindível que se façam exames e se busque o diagnóstico correto para que a doença possa ser tratada corretamente. Por mais que você não se sinta a vontade de falar sobre o distúrbio abertamente, entenda que é necessário e sua atitude estará possibilitando a melhora na sua qualidade de vida. É importante buscar ajuda, pois o distúrbio pode indicar uma condição subjacente mais grave, limitar a suas atividades e interações sociais, causar riscos de quedas nos idosos – já que precisam correr para chegar logo ao banheiro – dentre outros diversos problemas físicos e psicológicos.

Quando você for ao médico, esteja ciente que se você estiver preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Por isso, é importante já chegar na consulta possuindo algumas informações: uma lista com os seus sintomas e há quanto tempo você os sente, o seu histórico médico, e se possível, peça a algum amigo ou familiar para lhe acompanhar.

O especialista provavelmente fará uma série de perguntas, tais como: quando os sintomas começaram e eles são contínuos ou ocasionais? Quantas vezes você sente necessidade de urinar ao dia? Há vazamento de urina? E você sente dificuldade para esvaziar a bexiga? Já notou sangue na urina? Você fuma? Ingere álcool e bebidas com cafeína? Como é sua alimentação?

Também é importante que você leve para a consulta uma lista com suas principais dúvidas, priorizando o mais importante. Isso lhe ajudará a conseguir as respostas relevantes antes da consulta acabar, sem esquecer de nada relevante.

Para realizar o diagnostico o médico perguntará quais são os sintomas e histórico do paciente e como ocorre o padrão de esvaziamento e perda de urina para entender qual é o tipo de incontinência. Alguns exames poderão ser pedidos, como o exame de urina, um diário da bexiga (durante vários dias, ele vai pedir que o paciente anote sobre o seu quadro de incontinência), medição residual pós-miccional (análise da quantidade de urina produzida e quantidade da urina restante na bexiga). Ele também poderá pedir alguns exames adicionais, como o exame urodinâmico completo, a cistoscopia, a cistografia, e a ultra-sonografia abdominal e pélvica.

TRATAMENTOS

O tratamento da incontinência urinária irá depender de uma série de fatores, dentre eles a gravidade do problema, o tipo de distúrbio e suas causas. Talvez seja necessário uma combinação de vários tratamentos. Existem técnicas menos invasivas que costumam ser tentadas primeiro, e caso não sejam efetivas são buscadas outras opções.

Técnicas comportamentais

  • Treinamento da bexiga: Quando sentir vontade de urinar, tente adiar a ida ao banheiro por dez minutos retardando a micção.
  • Micção dupla: Tente urinar, esperar alguns minutos para então urinar novamente. Assim, você poderá aprender a esvaziar a bexiga com mais controle evitando a incontinência por transbordamento.
  • Programadas idas ao banheiro: Busque ir a cada três horas ao banheiro, e mantenha essa rotina. Não deixe para ir apenas quando a necessidade tiver grande.
  • Controle de dieta: Controle da ingestão de alguns líquidos para recuperar o domínio sobre sua bexiga. Talvez seja necessário cortar ou evitar o álcool, cafeína e alimentos ácidos. Aumento do consumo de fibras e perca de peso também poderá ser indicado.
  • Exercícios de Kegel: Talvez seja recomendável a prática de exercícios específicos para fortalecer os músculos da região, como os exercícios de kegel que são realizados com o auxílio de um fisioterapeuta.

Estimulação elétrica

Nesse tipo de tratamento, eletrodos são introduzidos no reto ou na vagina para estimular e fortalecer os músculos do assoalho pélvico. Esse estímulo ocorre temporariamente, mas talvez seja preciso diversos tratamentos durante vários meses.

Pessários vaginais

Os pessários são objetos anatômicos produzidos com silicone, e isentos de látex, que são introduzidos dentro da vagina e formam uma barreira que reduz o prolapso. O dispositivo ajuda a segurar a bexiga, que fica perto da vagina, para evitar a perda de urina.

Diversas terapias de intervenção podem ajudar em casos de incontinência, dentre elas: injeção de material sintético no tecido que envolve a uretra (para mantê-la fechada e reduzir a perda de urina), toxina botulínica tipo A (Botox), estimuladores de nervos e cirurgia.

Casos os tratamentos menos invasivos não funcionem, vários procedimentos cirúrgicos podem tratar os problemas causadores da incontinência, dentre eles: sling (tiras de tecido sintético aplicadas em torno da uretra e colo da bexiga), suspensão do colo da bexiga, cirurgia de prolapso, esfíncter urinário artificial, absorventes e cateteres, dentre outros.

Alguns produtos podem ajudar a aliviar o desconforto da urina vazando: absorventes e roupas de proteção e medicamentos para incontinência urinária.

Como a incontinência urinária pode ter diversas causas, o tratamento irá variar de acordo com as necessidades específicas de cada paciente. Logo, é extremamente necessário procurar um especialista para que ele possa transcrever o o tratamento adequado.

PREVENÇÃO

Algumas medidas podem lhe ajudar a se prevenir da incontinência, dentre eles: evite álcool e bebidas com cafeína, controle o diabetes, faça exercícios de kegel, não fume, elimine o excesso de peso, tenha uma alimentação saudável e procure ter uma vida equilibrada.

Ainda tem dúvidas?
Contate a gente, vai ser um prazer ajudar!